Portal do Governo Brasileiro
Início
Notícias UFSM
Para quem vai o seu agasalho?

Para quem vai o seu agasalho?

06/07/2018 09:48
Classificada em: Geral

Igor Guimarães tenta se adaptar ao rigoroso inverno gaúcho

“Ainda quero comprar um aquecedor, mas, por enquanto, isso aqui é meu aquecedor”, afirma Igor Guimarães, enquanto aponta para a sacola de roupas em sua frente. O aluno de Engenharia de Telecomunicações é um dos muitos acadêmicos que vêm de outros estados, e até países, para estudarem na UFSM. Ao se deparar com o inverno, Igor pôde constatar que as temperaturas aqui do Rio Grande do Sul são bem diferentes das do Rio de Janeiro.

O estudante, acostumado a invernos de 18 ºC, ainda está se adaptando ao frio de Santa Maria. Os primeiros dias foram complicados. Contou que chegou a ir para as aulas sentindo o corpo tão gelado que, ao lavar as mãos, sequer sentia a água correr. “Se duvidar, no fim, a água esquentou minhas mãos”, brinca.

Desde 18 de junho a UFSM está mobilizada na Campanha do Agasalho. Já foram mais de 700 doações recebidas, que serão destinadas a várias instituições. A relações públicas da Pró-Reitoria de Extensão (PRE) Danusa Frazzon, que participa da organização da campanha, explica que, para além do planejado, “durante o percurso surgiram demandas internas, vindas dos alunos”. Assim, antes mesmo da ação terminar, os agasalhos começaram a ser oferecidos aos estudantes que estão necessitados.

Igor, que conta estar vestindo um casaco emprestado por uma amiga, mostra sua sacola, com calça, casacos, meias e luvas. A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) entra em contato com os estudantes que estão na lista de prioridade e esses podem escolher até cinco itens para levar. Danusa observa que as peças mais procuradas são casacos e calças de moletom masculinas, artigos esses que também foram doados em menor quantidade.

As entidades beneficiadas

Festa Junina reuniu pacientes, familiares e voluntário na Casa Maria

Casa Maria Amparo Assistencial a Pessoas em Tratamento Oncológico

Desde março de 2014 a instituição atende pacientes em tratamento no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). O principal objetivo é auxiliar pessoas com câncer, que não têm condições de arcar com os custos do tratamento, que vêm de outras cidades ou que de alguma forma estão desamparadas.

Ao preencher o formulário do cadastro e comprovar carência financeira, o paciente passa a receber instantaneamente os benefícios que necessita. A Casa Maria proporciona suplementos alimentares, medicamentos, alimentação e hospedagem para enfermos de fora e um familiar, entre outras demandas.

Após quatro anos de existência, ela já conta com mais de 900 cadastros. Hoje, são cerca de 360 pacientes ativos, sendo 60 deles crianças. A entidade se mantém exclusivamente de doações da comunidade. Além de alimentos, roupas e dinheiro, a Casa Maria também conta com uma equipe de telemarketing para angariar fundos. São 16 funcionários e mais de 30 voluntários envolvidos no funcionamento da instituição.

Às terças-feiras são realizados encontros do grupo de convivência, para que os assistidos possam compartilhar suas experiências e se ajudarem mutuamente. “Eu gosto muito de estar aqui, amo tudo isso e tenho muitos amigos. Se eu passo uma semana ou outra sem vir, eles já me ligam pra ver o que aconteceu”, afirma Roselaine Müller. Há oito anos ela foi diagnosticada com câncer de colo de útero, com expectativa de três meses de vida. Além dos remédios, do amparo psicológico e das amizades criadas durante os três anos de vínculo com a Casa Maria, Roselaine também recebe fraldas e uma cesta básica mensal que, segundo ela, são de uma importância indescritível.

Os agasalhos destinados a esta entidade serão doados aos pacientes e usuários da Casa Maria. Caso sobrem, serão comercializados em um brechó e a renda será revertida em medicamentos e suplementos alimentares. Mais informações sobre a instituição e formas de contribuição podem ser encontradas no site e na página no facebook.

Associação de Apoio a Pessoas com Câncer (Aapecan)

Semelhante à Casa Maria, a Aapecan oferece auxílio a pacientes diagnosticados com câncer, que não possuem condições para arcar com os custos do tratamento. São disponibilizados medicamentos, suplementos, dietas alimentares e alimentos, além de uma Casa de Apoio para usuários e acompanhantes que não têm onde ficar durante o período do tratamento. A assistência é oferecida pelo tempo que se fizer necessário o vínculo com o hospital.

Para que os assistidos usufruam gratuitamente dos benefícios, a Aapecan recebe a colaboração de inúmeros contribuintes. O trabalho é realizado por meio de doações da população e também por uma equipe de telemarketing, que, além de contribuições financeiras, organiza parcerias, campanhas e promoções, a fim de obter mais benefícios aos usuários.

A entidade oferece também atendimento psicológico, jurídico, nutricional e atividades de lazer, como reiki, oficinas de artesanato, cineclube e yoga. Fundada em Caxias do Sul, no ano de 2005, hoje a Aapecan possui 13 unidades no estado, incluindo a de Santa Maria, existente desde junho de 2006. Para usufruir dos auxílios é necessário apresentar CPF, RG, comprovantes de renda e residência e também o atestado que comprove o tratamento realizado.

As roupas destinadas à Aapecan serão fornecidas aos usuários e as demais destinadas ao Brechó Solidário, realizado duas vezes ao mês. Mais informações sobre a instituição e formas de contribuição podem ser encontradas no site e na página do facebook.

Brechó é uma das fontes de renda para manutenção do Leon Denis

Associação Leon Denis

Quem vem de outra cidade para realizar algum tratamento no HUSM nem sempre está preparado para ficar em Santa Maria por um longo período. Para auxiliar famílias ou acompanhantes de enfermos internados, a entidade funciona como um abrigo. Há 25 anos a associação fornece moradia e alimentação de forma gratuita a esses usuários.

Hoje a instituição passa por reformas, com uma ampliação de 19 para 22 leitos. A presidente da Associação, Núbia Denardin da Rosa, explica que eles se transformam em 44, uma vez que é comum os pacientes terem dois acompanhantes, que se revezam nos cuidados. “Eles ficam aqui enquanto durar o tratamento. Tivemos um caso de um que ficou durante um ano e dois meses. Tudo sem custo nenhum”, complementa.

Além de acolher os acompanhantes, o Leon Denis também possui uma unidade com três suítes destinadas a pacientes transplantados. Para que possam se estabelecer, tanto pacientes quanto acompanhantes, é necessário o aval da assistente social do HUSM.

A entidade se mantém por meio de doações da comunidade, parcerias com instituições e vendas de roupas no brechó. Em agosto, quando as obras de ampliação estarão finalizadas também será montado um brique, para o qual a Associação está arrecadando móveis e eletrodomésticos.

Os agasalhos destinados ao Leon Denis serão vendidos no brechó, que acontece diariamente na sede da instituição, e revertidos em verbas para o funcionamento do abrigo. Mais informações sobre a instituição e formas de contribuição podem ser encontradas no site e na página do facebook.

Bebê Quentinho - HUSM

Por fim, as roupas infantis serão destinadas à campanha Bebê Quentinho, realizada por servidores da Unidade de Internação da Pediatria e das UTIs neonatal e pediátrica do HUSM. Bebês que nascem e não possuem enxoval, ou então crianças que irão receber alta e precisam de roupas serão beneficiados.

As roupas e calçados arrecadados são organizados em um armário dentro do Hospital, onde as mães, acompanhadas por uma servidora, escolhem as vestimentas mais adequadas, conforme o tamanho do bebê ou da criança. Essa é uma campanha que já está em andamento e, durante este ano, beneficiou mais de 250 pessoas. Mais informações podem ser encontradas no site do HUSM.

A Campanha do Agasalho é uma parceria entre a Pró-reitoria de Extensão (PRE) e o HUSM e segue até o dia 15 de julho. As caixas para coleta estão localizadas nas entradas dos prédios da Reitoria, HUSM, CAL, CCNE, CCR, CCS, CCSH, CE, CEFD, CT, CTISM, Politécnico e Ipê Amarelo. 

Texto e fotos: Melissa Konzen, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias da UFSM
Edição: João Ricardo Gazzaneo