Portal do Governo Brasileiro
Início
Notícias UFSM
​Serviço de saúde auditiva do Husm foi apresentado em seminário no Chile

​Serviço de saúde auditiva do Husm foi apresentado em seminário no Chile

27/07/2017 17:10
Classificada em: Geral

A professora do curso de Fonoaudiologia da UFSM e chefe do setor de Gerência de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário de Santa Maria (GEP-Husm), Themis Kessler, participou – como convidada internacional – do Seminário Análise de Boas Práticas Inclusivas de Alunos Surdos, promovido pela Universidade de Talca, no Chile. Durante o seminário, voltado para os profissionais da área da saúde, familiares e autoridades, que ocorreu no dia 19 de julho, a fonoaudióloga ministrou a palestra "A contribuição do Serviço de Saúde Auditiva do Husm/UFSM para a inclusão social de pessoas surdas".

Themis falou sobre o acesso à saúde e à reabilitação auditiva para as pessoas surdas antes e depois de 2004, ano da criação da Política Nacional de Atenção à Saúde Auditiva, que estabelece as diretrizes de assistência às pessoas surdas nos diferentes níveis de atenção: desde a atenção básica, com a orientação às famílias e primeiros encaminhamentos, até o atendimento terciário, com diagnóstico e protetização auditiva ou cirurgia de implante coclear e reabilitação auditiva e linguagem.

Apresentou ainda o trabalho realizado no Husm de Triagem Auditiva Neonatal (TAN), nos bebês que nascem no hospital, e como é feito o encaminhamento para alta complexidade – quando há suspeita de deficiência auditiva nessas crianças –, e para reabilitação/acompanhamento no Serviço de Atendimento Fonoaudiológico (SAF), localizado no prédio do antigo hospital, no centro de Santa Maria. No caso da reabilitação, o atendimento assistencial é realizado pelos alunos do último ano do curso de Fonoaudiologia, sob supervisão acadêmica da professora Themis, porque o hospital ainda não conta com uma fonoaudióloga para essa atividade.

A partir de 2012, o Governo Federal incorporou a Política Nacional de Saúde Auditiva à Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Desde 2005, as pessoas puderam ter acesso aos aparelhos auditivos sem custo e também à reabilitação, segundo o fluxo estabelecido por portarias do Ministério da Saúde.

"De acordo com o levantamento assistencial junto ao Serviço de Atenção Auditiva, responsável pelo diagnóstico audiológico e indicação das próteses auditivas, de 2006 a 2017, aproximadamente 4.200 pacientes receberam aparelhos auditivos", informa a professora.

Do ponto de vista da pesquisa, foi apresentado o quantitativo relativo à produção acadêmica envolvendo o serviço e/ou os pacientes atendidos.

"Identificamos que, no período de 2006 a 2017, 44 artigos foram publicados em periódicos indexados, 18 dissertações de mestrado foram concluídas, duas teses de doutorado e 15 trabalhos de conclusão de curso finalizados", revela a fonoaudióloga.

Por fim, foram expostos os desafios a serem enfrentados pelo serviço. Ou seja, o que é preciso melhorar e avançar para a implantação da política. Um dos desafios é ampliar a difusão dos serviços de alta complexidade, pois frequentemente famílias que moram no interior têm de viajar a Porto Alegre para usufruí-los. Como consequência da quantidade insuficiente desses serviços no Estado, observa-se um tempo de espera prolongado em casos de cirurgia de implante coclear e intervenção fonoaudiológica tardia, do ponto de vista da reabilitação.

Texto: Unidade de Comunicação do Husm