Portal do Governo Brasileiro
Início
Notícias UFSM
​Um espaço botânico que cultiva a biodiversidade

​Um espaço botânico que cultiva a biodiversidade

13/11/2017 12:32
Classificada em: Geral

Jardim Botânico é ambiente de pesquisa e de visitação

Acácias, pinus, araucárias e uma biodiversidade de espécies a serviço da comunidade. O cenário, que resguarda em sua paisagem árvores e plantas cultivadas na região, é fruto do empenho realizado por professores das Ciências Biológicas na fundação do Jardim Botânico da UFSM. Há 36 anos, o local oferece, dentro da Universidade, um espaço de lazer e aprendizado aos visitantes.

Fundado em 1981 pelos professores Santo Masiero e Adelino Alvarez Filho, o Jardim tem o objetivo de conservar as espécies nativas do Rio Grande do Sul e da região de Santa Maria e mostrar as espécies comuns cultivadas na região, conforme comenta o professor e diretor do local, Renato Záchia.

Diariamente, o Jardim recebe a visitação de estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior, para o desenvolvimento de projetos que não estejam, necessariamente, relacionados à botânica. “O Jardim tem sido utilizado pelos cursos de Botânica, Biologia, Agronomia, Engenharia Florestal, inclusive da Química. Mas é aberto a todos os cursos que queiram utilizar o espaço como sala de aula ao ar livre”, incentiva o professor, que relata o interesse em receber novas iniciativas ambientais.

As espécies florais não são as únicas encontradas no local. No Jardim, também podem ser encontrados eventualmente animais silvestres, como capivara, bugio e jacaré. Além disso, um grupo de observadores verifica a presença de aves no local. Eles integram o projeto de extensão chamado “Olha o passarinho”, coordenado pelos professores Marilise Mendonça Krügel, do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, e Everton Rodolfo Behr, do Departamento de Zootecnia.

Caminhos arborizados

Frequentadores podem fazer trilhas arborizadas

Com uma caminhada que percorre o interior da floresta de bambus, as trilhas realizadas pelos acadêmicos da UFSM animam alunos e crianças que visitam o Jardim. O monitor e estudante de Engenharia Sanitária e Ambiental Henrique Ferreira da Costa conta que, durante o passeio, são feitos vários questionamentos e pausas para fotografias. “Mas, com certeza, o ponto de maior interesse é o viveiro das plantas carnívoras. Deixamos para o fim da trilha, pois os alunos vão criando expectativa. É onde surgem mais perguntas pelo fato de serem espécies bastante incomuns no dia a dia”, conta.

Por meio dos questionamentos realizados pelos monitores, que incentivam a participação dos alunos e os instigam a demonstrar seus conhecimentos, os estudantes têm a oportunidade de obter novos aprendizados não só na área da biologia, como também história e geografia. É o que relata a acadêmica Bruna Candaten, do 6º semestre de Ciências Biológicas, que levou os alunos do 7º ano da Escola Municipal Antônio Gonçalves do Amaral de Santa Maria para conhecerem o Jardim Botânico.

Os estudantes conheceram espécies nativas e exóticas e ainda trabalharam a relação das plantas com os animais que vivem no local. A cada área descoberta, uma nova compreensão sobre a importância dos seres vivos era aprendida. Após a visita, Bruna conta que os alunos escreveram um relatório sobre os novos conhecimentos e expuseram os pontos que mais chamaram atenção. “Eles gostaram de ter o contato real com as plantas, para poder ver as estruturas e entender melhor a anatomia delas. Isso porque estudaram botânica no ano anterior, então ainda estavam com o conteúdo fresquinho e foi possível entender e ver como é de verdade”, comenta Bruna.

Além da anatomia floral, os estudantes também conheceram o minhocário do Jardim Botânico. O fato de começarem a estudar os anelídeos dias antes da visitação ao local contribui para que os alunos permanecessem atentos à explicação do monitor. Assim, eles puderam observar na prática o funcionamento dos animais.

O Jardim também serve como sala de aula aos acadêmicos da UFSM. A universitária Bruna, além de conduzir os alunos ao local, já assistiu a uma aula prática sobre gimnosperma na faculdade. “Achei essa aula uma das melhores que já tive dentro da botânica, pois estando perto das plantas, ficou muito mais fácil de entender o conteúdo e gravar os nomes delas”, destaca Bruna, que ressalta a importância de analisar as plantas em seus ambientes naturais.

Coleções e projetos desenvolvidos

Coleção de cactos do Jardim Botânico

As plantas carnívoras compõem um dos viveiros encontrado no Jardim Botânico. Além delas, há as plantas ornamentais e frutíferas, cactário, mudas de árvores nativas, plantas medicinais e coleção de árvores, chamada arboreto.Devido aos últimos temporais e ventanias ocorridas na cidade, o material composto pelas plantas carnívoras teve de ser substituído e o viveiro está em processo de reconstrução.

Entre outros projetos, o Jardim Botânico também produz mudas com o objetivo de arborizar e auxiliar o paisagismo do campus. A pretensão é repor espécies para o próprio local e colaborar com escolas que tenham projetos específicos de educação ambiental. Após a produção de mudas, o Jardim as disponibiliza para as escolas que realizam a solicitação.

Algumas espécies são cultivadas em estufas

Os passeios monitorados, que contam com a realização de trilhas animadas pelos acadêmicos, podem ser solicitados pelo site, por meio de cadastro online. Após a solicitação, é necessário aguardar o retorno para que seja confirmado o agendamento. Nos dias chuvosos, a visitação é cancelada para garantir a segurança e conforto do público, pois vários pontos ficam alagados.

A visitação é gratuita e está sempre aberta ao público, sem necessidade de agendamento. O horário de funcionamento do Jardim Botânico é das 8h às 17h. Mais informações pelo telefone da sede: (55) 99193-8183.

Texto e fotos: Gabrielle Ineu Coradini, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias